Agradecimento do meu TCC
Pessoal

Agradecimento do meu TCC

Oie Pessoal!!!

Vejo que muitas pessoas têm dúvidas sobre os agradecimentos do TCC, quase final de ano e todo acadêmico na loucura de terminá-lo, espero poder ajudar.

Então resolvi postar os agradecimentos que escrevi no meu TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) do curso de Medicina Veterinária.

Bom, hoje lendo percebo que deixei de fora pessoas que devo eterna gratidão e que realmente estão do meu lado quando eu mais preciso ou não, tirando minha família que me apoia em tudo, a maioria das pessoas agradecidas NUNCA depois da formação se quer me perguntaram como eu estou, estava. Porém, agradecemos o momento.

Muitos diziam estar comigo sempre, poucos estiveram de verdade.Desconhecido

No fim, deixo um resumo do que foi meu trabalho NOTA 10…😜.

Beijos 💋 Isa Araujo!

Agradecimento do meu TCC

A CARNE BOVINA COMO VEÍCULO DE TRANSMISSÃO DA TUBERCULOSE

  • Dedicatória:

Dedico este trabalho aos meus avós paternos e maternos, Pedro e Rosa, Miguel e Isaura, “In Memorian”, pela existência de meus pais, * e *, pois sem eles este trabalho e muitos dos meus sonhos não se realizariam.

  • Agradecimento:

É difícil agradecer todas as pessoas que de algum modo, nos momentos serenos e ou apreensivos, fizeram ou fazem parte da minha vida, por isso primeiramente agradeço à todos de coração.

Dediquei este trabalho “in memorian” aos meus avós paternos (Pedro e Rosa) e maternos (Miguel e Isaura) e aproveito também para agradecê-los, estejam onde estiverem. Infelizmente, meus avós paternos, não os conheci, mas com meus avós maternos cresci e apreendi muito. Lembro-me do meu avô Miguel (analfabeto) dizendo que a maior virtude do homem é saber ler e escrever. Também recordo da minha avó Isaura (semi-analfabeta) me pedindo nas tardes de domingo para escrever cartas a suas irmãs distantes e me dizendo que eu sempre buscasse o caminho do aprendizado e do conhecimento. Ambos se orgulhavam com cada carta que eu lia ou escrevia e é a eles e por eles terem me dado pais tão maravilhosos que agradeço eternamente.

Agradeço aos meus pais, * e *, pela determinação e luta na minha formação e dos meus irmãos, fazendo amparar os ensinamentos de meus avós.

Agradeço aos meus irmãos, *, *, * e *, que por mais difícil que fossem as circunstâncias, sempre tiveram paciência e confiança.

Agradeço aos meus tios e primos de São Paulo pela convivência e amparo do dia-a-dia.

Agradeço à minha tia *, que todos os dias me conferia carinho e agrado.

Agradeço aos meus padrinhos, * e *, ao incentivo, apoio e estímulo para enfrentar as barreiras da vida.

Agradeço aos meus tios e primos de Goiás e Recife, em especial à minha prima, *, uma pessoa doce e amável, que mesmo à distância, nos finais de semana, seja por e-mail ou chat, incluía em suas mensagens palavras de incentivo e carinho à mim e toda minha família.

Agradeço aos meus bichos de estimação que alegram a minha casa, aos meus cães, gatos e periquitos, força maior pelo qual escolhi esta profissão tão admirável e difusa.

Agradeço também aos meus bichos de estimação que infelizmente não estão mais entre nós, meus cães: Preta, Pintada e Mel e meus gatos: Champer, Charles, Mi e Princesa.

Agradeço ao amigo, Carlinhos, com seu “Papo de Jacaré” e sempre lembrança do Dia do Veterinário.

Agradeço aos meus colegas de classe e com certeza futuros excelentes profissionais.

Não poderia deixar de agradecer pelo companheirismo, dignidade, carinho, autenticidade e amizade, uma caipirinha lá de “Itajubárrrr”, *, que sempre esteve ao meu lado nos momentos engraçados (do inesperado bi,bi e das carimbadas do “Detran”), tristes, alegres, e na cumplicidade do dia-a-dia nos estágios. Aproveito para agradecer a avó da *, Lina, pelo almoço antes do estágio.

Agradeço também a turma do fundão, da qual tive orgulho de fazer parte, juntamente com * (magrela e comilona), Maneca (*) com seu bordão inesquecível “Fofa”, *, * e ao querido *, agradeço à todos pela amizade, paciência, ternura e convivência destes 5 anos, que serão infindáveis.

Agradeço aos amigos que fiz nos outros semestres, principalmente a *, companheira até mesmo no jornal “Estadão”.

Agradeço aos coordenadores do Curso de Medicina Veterinária da Universidade * *, *, por ter acreditado num sonho que agora é de todos, *, por ter me mostrado o caminho das obras científicas e ao * que com dedicação, presteza e competência conduz sua profissão.

Agradeço aos professores que desempenharam com dedicação as aulas ministradas.

Agradeço à minha querida e amável orientadora, *, que com paciência e pouco fôlego, conseguiu corrigir os meus textinhos em azul e por ser uma excelente professora e profissional, a qual me espelho.

Agradeço a minha co-orientadora, *, que com meiguice me ajudou nesta etapa final.

Agradeço à todos os funcionários da Universidade * *, mas não poderia deixar de mencionar, *, que atenciosamente atendeu aos meus telefonemas e e-mails.

Agradeço aos supervisores de estágios e funcionários da CCL e do SVA/GRU, pois souberam me conduzir nos estágios amplamente.

Agradeço ao Dr. * pelas conversas e passeios, à Dr.ª * pelos seus conselhos, à Dr.ª *, pela confiança e presteza e à * com sua graça e paciência.

E finalmente agradeço a Deus, por proporcionar estes agradecimentos à todos que tornaram minha vida mais afetuosa, além de ter me dado uma família maravilhosa e amigos sinceros. Deus, que a mim atribuiu alma e missões pelas quais já sabia que eu iria batalhar e vencer, agradecer é pouco. Por isso lutar, conquistar, vencer e até mesmo cair e perder, e o principal, viver é o meu modo de agradecer sempre.

(RESUMO):
A tuberculose, uma doença incorporada ao romantismo do século passado, conhecida como a doença dos poetas e boêmios, tornou-se novamente preocupante neste século. O aumento da ocorrência de doenças imunodeficientes, dos padrões e crenças culturais antigas, das migrações de pessoas para as grandes metrópoles e do poder aquisitivo cada vez menor da população brasileira vem ajudando na disseminação e no aumento de casos de tuberculose. A tuberculose humana, assim como a bovina, volta a assumir grande importância nos países em desenvolvimento como o Brasil. Sua transmissão é de fácil propagação, pois muito antes do diagnóstico, o animal já elimina o agente. Os produtos de origem animal, como a carne e o leite, podem transmitir ao consumidor a tuberculose. No caso da carne, a transmissão poderá se dar quando esta for consumida sem cocção adequada e for de origem duvidosa, como é o caso do abate clandestino. Sendo o Brasil o segundo maior consumidor de carne, detentor do maior rebanho do mundo e ainda ser o terceiro maior produtor mundial, a preocupação com a qualidade dos seus produtos torna-se prioridade. Neste sentido, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Secretarias Estaduais e Entidades afins vêm atuando através da implantação de um programa de controle e prevenção da tuberculose, desempenhando assim um papel fundamental na garantia da saúde pública. Uma das formas criadas e estabelecidas pelo MAPA é o Serviço de Inspeção Federal (SIF), com reconhecimento mundial, atua no controle técnico e higiênico-sanitário dos estabelecimentos. Mas ainda há muito que ser feito, a falta de informação populacional, a falta de estatísticas confiáveis e a falta de um diagnóstico efetivo para identificação do agente, são algumas das dificuldades, a serem vencidas para um controle e prevenção da tuberculose ainda mais efetivo.

Palavras-chave: tuberculose bovina, Mycobacterium bovis, carne, inspeção.

*Nomes Próprios preservados.

... curta, comente ... Comentários