Essa Mulher!
Pessoal

Essa Mulher!

♪🎼♬Essa menina, essa mulher, essa senhora;
Em que esbarro toda hora;
No espelho casual;♪🎼♬

Olá!

Infelizmente ainda é uma data de poucas comemorações, mas de muitas reflexões e homenagens, ainda existe muito que ser feito em RESPEITO pela Mulher. E parece que a cada tempo que se passa, isso vem ficando confuso, e o que nos parece grito de igualdade, quase que toma-se por grito de superioridade, queremos tanto ser ouvidas, ser vistas, ser respeitadas que acabamos as vezes nos engasgando com o grito, passamos então por “querer ser melhor”, e na verdade buscamos apenas IGUALDADE, jamais, nunca devemos esquecer isso, IGUALDADE.

A ideia de criar o Dia da Mulher surgiu nos primeiros anos do século XX, nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas femininas por melhores condições de vida e trabalho, bem como pelo direito de voto. Inspirada por esse espírito, a líder socialista alemã Clara Zebrino propôs à Segunda Conferência Internacional de Mulheres Socialistas, em Copenhaga, 1876, a instituição do Dia Internacional da Mulher. Fonte: Wikipédia

Na época de nossas avós, elas lutavam por melhores condições de trabalho e direito ao voto, hoje votamos, hoje temos condições de trabalho, exemplo disso que o País é governador (não cabe aqui as críticas) por uma mulher, mas reconheço que existe muita coisa a ser feita.

RESPEITO, quando digo isso não é somente dos homens para com as mulheres, é de mulher pra mulher, vamos respeitar mais aquela amiga que quer ser namoradeira ou aquela que não quer namorar, que não quer ter filhos, que quer ter filhos por cesariana, que quer tomar suas decisões sobre seu corpo, que não quer amamentar em público ou quer amamentar em público, respeitar uma mãe que simplesmente quis “quebrar o tabu” e dizer que SER MÃE NÃO É padecer no Paraíso e principalmente EDUCAR nossos filhos homens serem “Pai“, donos de casa, um bom amante, prestativo com as mulheres, isso é SER HOMEM.

Ahhhh! Mas vão existir aquelas que dirão, isso não é ser homem, jura que não! Entendido então o índice de violência doméstica aumentar, homens que “abortam”, homens que desvalorizam as mulheres, lembrando que somos nós que educamos e já somos pela estatística mais de 50% de mulheres a chefiar uma casa, portanto a culpa não é somente disso ou daquilo, deste ou daqueles, são das nossas escolhas e aí não adianta ficar sem soutien em praça pública -Esconde isso aí, menina!- “bora” vestir a camisa do respeito por nós mesmas e uma pelas outras.

Essa Mulher!

Finalizar esta reflexão com uma canção que só tem 37 aninhos, mas que retrata profundamente nós mulheres, e eu escolhi estas duas intérpretes –mãe e filha– que amo, pois elas não doam apenas a sua arte, ambas se doam ao público, cada qual se emociona com sua própria arte de igual para igual, e quando eu digo igual, é sem distinguir que dentro de cada uma “somos todas ESSA MULHER”!

Música: Essa Mulher
Intérpretes: Elis Regina e Maria Rita (Sou Fã!)
Compositores: Joyce/Ana Terra

De manhã cedo, essa senhora se conforma
Bota a mesa, tira o pó, lava a roupa, seca os olhos
Ai. como essa santa não se esquece de pedir pelas mulheres
Pelos filhos, pelo pão


Depois sorri, meio sem graça
E abraça aquele homem, aquele mundo
Que a faz, assim, feliz
De tardezinha, essa menina se namora

Se enfeita, se decora, sabe tudo, não faz mal
Ai, como essa coisa é tão bonita
Ser cantora, ser artista
Isso tudo é muito bom

E chora tanto de prazer e de agonia
De algum dia, qualquer dia
Entender de ser feliz
De madrugada, essa mulher faz tanto estrago

Tira a roupa, faz a cama, vira a mesa, seca o bar
Ai, como essa louca se esquece
Quanto os homens enlouquece
Nessa boca, nesse chão

Depois, parece que acha graça
E agradece ao destino aquilo tudo
Que a faz tão infeliz
Essa menina, essa mulher, essa senhora

Em que esbarro toda hora
No espelho casual
É feita de sombra e tanta luz
De tanta lama e tanta cruz
Que acha tudo natural.

Beijos 💋 Isa Araujo!

Feliz Dia Internacional da Mulher!
... curta, comente ... Comentários