Saúde

Outubro Rosa (2014)

Movimento que é amigo do peito!

Imagem: Projeto Repartir | Grupo de voluntários de Salvador-BA.

Blogueiras Unidas contra o Câncer de Mama
A cada blog que apoia esta ação, será
doado um sutiã de pós-mastectomia
ao IBCC que atende pelo SUS.

Olá Meninas e Meninos!!!

Você já deve ter notado que alguns monumentos ou construções históricas estão com luzes na cor rosa, estamos no Outubro Rosa e desde a criação do blog falamos dele.

Outubro Rosa nada mais é que o mês de conscientização do câncer de mama, e não pense que só acomete mulheres, homens também, claro que numa proporção menor, mas infelizmente também acomete. Em 2011, de acordo com o Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), 120 pacientes homens e 13.225 mulheres faleceram em decorrência da doença.

Já que muito se fala do câncer de mama nas mulheres, hoje vou dar uma pequena ênfase no câncer de mama masculino.

Imagem: Busca Google Imagens.

A enfermidade se manifesta nos homens especialmente entre os 50 e os 60 anos. O câncer de mama masculino pode estar ligado a fatores hormonais, histórico familiar ou pelo consumo de uma dieta rica em gorduras e excesso de álcool. Além disso, o uso de anabolizantes ou de hormônios também influencia o surgimento. “Quem usa essas substâncias tem risco bem maior. Elas aumentam de três a quatro vezes mais as chance de ter o câncer quando comparado àqueles que não usam”, enfatiza o oncologista Anderson Silvestrini, do Grupo Acreditar.

Assim como as mulheres, os homens também podem fazer o autoexame como forma de rastrear alguma irregularidade. O oncologista esclarece que vencer o preconceito e fazer o procedimento são palavras de ordem. A prática é ainda mais simples, pois os homens têm pouca glândula mamária. “Apalpando a região, sem esquecer de investigar a axila, o homem consegue observar se existe algum nódulo para, com isso, procurar um médico que possa solicitar os exames necessários para a conclusão diagnóstica”, alerta o oncologista. Os homens devem ficar também atentos a vermelhidões ou mesmo dores nas mamas.
Fonte: Instituto Oncoguia

Segundo o INCA – Instituto Nacional de Câncer a estimativa de novos casos para 2014 é 57.120. O câncer de mama é o segundo tipo mais frequente no mundo, é o mais comum entre as mulheres, respondendo por 22% dos casos novos a cada ano. Se diagnosticado e tratado oportunamente, o prognóstico é relativamente bom. Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta faixa etária sua incidência cresce rápida e progressivamente. Estatísticas indicam aumento de sua incidência tanto nos países desenvolvidos quanto nos em desenvolvimento.

Imagem: Busca Google Imagens.

O primeiro passo para o combate desta doença é o autoexame das mamas, O IBCC (Instituto Brasileiro de Combate ao Câncer) disponibiliza em seu site um guia de como deve ser feito este exame, caso queira Salvar, disponibilizamos abaixo pra vocês, é só clicar em Save e na página que abrir, clicar na ↓ ou acesse aqui e ponha em prática esta rotina, notando qualquer alteração busque ajuda de um profissional, os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) devem passar em consulta em alguma Unidade Básica de Saúde (UBS), para que sejam encaminhados ao IBCC em caso de suspeita ou diagnóstico positivo de câncer.

Em vários partes do País estão acontecendo várias programação como caminhões pra exames de graça, orientação e tudo mais sobre esta campanha que é amiga do peito, entre em contato com a Secretária de Saúde do seu estado.

*O movimento Outubro Rosa começou nos Estados Unidos, onde vários estados desenvolviam ações isoladas de prevenção ao câncer. O nome foi adotado por remeter à cor do laço rosa, que simboliza a luta mundial contra o câncer de mama. O laço foi adotado na década de 1920. Inicialmente, as cidades amarravam o laço em alguns monumentos para chamar a atenção das pessoas para a causa. Posteriormente, passou-se a realizar eventos como corridas e desfiles, além da iluminação cor-de-rosa instalada em monumentos e prédios públicos.

Para ver outras postagens sobre o Outubro Rosa, clique aqui!

Beijos

... curta, comente ... Comentários